Pular para o conteúdo principal
logotipo TMA Brasil
logotipo TMA Brasil
lupa

Oferta deve superar em bilhões as necessidades da Conta-Covid, diz BNDES

bb

Até 1º de julho a sociedade saberá qual será o custo dessa operação, que deverá ser muito menor do que foi com a Conta-ACR em 2014 
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pretende divulgar na próxima quarta-feira, 1º de julho, as condições do empréstimo da Conta-Covid. Segundo o presidente da instituição, Gustavo Montezano, há um indicativo de que a oferta de crédito deverá “superar em bilhões” as necessidades do setor elétrico.
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu em R$ 16,1 bilhões o volume de recursos necessários para compensar o aumento da inadimplência e a redução de mercado das distribuidoras de energia elétrica por conta da crise do coronavírus.
A previsão é que os bancos enviem as primeiras propostas na segunda-feira, 29 de junho, e até 1º de julho a sociedade poderá saber qual será o custo dessa operação, que deverá ser muito menor do que foi com a Conta-ACR em 2014.
“Essa operação é importante tanto para o setor elétrico e mais ainda para todas as nossas cadeias produtivas poderem voltar a operar como estava acontecendo no primeiro trimestre”, disse Montezano durante seminário virtual promovido pela FGV Energia na noite desta quarta-feira, 24.
O BNDES liderou todo o processo de estruturação da Conta-Covid, que contou com a participação de mais de dez instituições financeiras. O banco de fomento também entrará como financiador da conta nas mesmas condições que os demais bancos. O custo do financiamento será conhecido através de um processo de bookbuilding.
Montezano destacou que essa é uma operação emblemática pelo volume de recursos: que representa metade de tudo que o BNDES emprestou para grandes empresas em 2019 e 1,6% de todo o mercado doméstico de crédito, estimado em R$ 1 trilhão. Além disso, merece destaque para o curto prazo de estruturação e pela forma como os agentes participaram desse processo.
Assim como na Conta ACR, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) atuará como gestora da Conta-Covid. A conselheira de Administração da CCEE, Rose Santos, apresentou um cronograma otimista para o início dos repasses dos recursos às distribuidoras, que deverá ocorrer até o final de julho no melhor dos cenários.
“Cabe ressaltar que para regulamentação da Conta-Covid contou com o apoio de diversas instituições, em especial do Ministério de Minas e Energia, sob o comando do ministro Bento Albuquerque, que sempre atuou com respeito a autonomia da agência e com a preocupação de não sombrear as competências das instituições. Esse apoio foi sempre muito importante”, afirmou Elisa Bastos, relatora do processo de regulamentação da Conta e diretora da Aneel.
O evento virtual também contou com as participações do diretor-geral da Aneel, André Pepitone; do presidente do Conselho de Administração da CCEE, Rui Altieri; e, como moderadora, a diretora do Centro de Regulação em Infraestrutura (FGV CERI), Joisa Dutra. Contribuíram para o debate o diretor e o consultor jurídico da FGV Energia, Carlos Quintella e Paulo Cunha, respectivamente.

25/06/2020


 

Autor(a)
Da Redação

Newsletter